domingo, 8 de janeiro de 2017

domingo, 18 de setembro de 2016

Google Street View


Casa da tia Micas com a Lucilia à porta, muito admirada por ter sido apanhada pelo Google Street View



sexta-feira, 18 de março de 2016

Azulejo


Azulejo com a Igreja de Cesár, no Parque de La-Salete, em Oliveira de Azemeis



quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Formigos Cesarenses


Formigos Cesarenses
(do livro - Cozinha Tradicional PortuguesaDa Editorial Verbo )

Ingredientes: Para 6 a 8 pessoas
· 500 g de pão de 1ª
· 1,25 litros de leite
· 300 g de açúcar
· 250 g de manteiga
· 1,5 dl de mel
· 6 a 7 ovos
· 2,5 dl de vinho branco
· 1 colher de sopa de canela
· 1 pau de canela

Confecção:
O pão deverá ser duro de dois dias; retira-se o miolo, que se põe de molho em água fria. Em seguida escorre-se muito bem e deita-se num tacho.
Rega-se com o leite, junta-se o açúcar, a manteiga, o mel (menos 1 colher de sopa), o pau de canela em pedacinhos e a canela em pó.
Leva-se a lume brando (de lareira) e mexe-se sem parar até obter uma papa.
Nesta altura o doce está cozido e retira-se do calor.
Numa tigela têm-se muito bem batidas as gemas, o vinho e uma colher de mel.
Adiciona-se esta mistura em fio, a pouco e pouco, ao preparado anterior, deixando-a cair de modo a que os ovos se fiquem a notar.
Leva-se novamente ao lume, e assim que começar a ferver retira-se e deita-se o doce em tigelas ou travessa de loiça.
*Normalmente faz-se o quádruplo desta receita, que dá para cerca de 30 pessoas.






sábado, 5 de novembro de 2011

CISC - Centro Infantil e Social de Cesar


CISC - Centro Infantil e Social de Cesar
Rua Central do Castelo, 623
3700 - 602 Cesar

Telefones:
Secretaria 256 850 460 | Lar 256 850 465 | Infantário 256 850 462
Telemóvel: 916324341 | Fax 256 850 469

E-mails:
cisc@mail.telepac.pt
ciscinfantil@gmail.com
ciscsenior@gmail.com
ciscanimacao@gmail.com
ciscgestao@gmail.com

- Creche;
- Jardim-de-infância;
- Centro de Actividades de Tempos Livres (CATL);
- Centro de Dia;
- Serviço de Apoio Domiciliário;
- Estrutura Residencial para Idosos

http://ciscesar.org







quarta-feira, 27 de julho de 2011

Justino Francisco Portal





Comerciante, industrial e capitalista nasceu em 1835 em Cesar, Oliveira de Azeméis, Portugal.
De origem fidalga, encontra as suas raízes em França na família "du Portal" parte dela refugiada no início do século XVIII em Oliveira de Azeméis aquando das perseguições religiosas de que foram alvo os protestantes calvinistas hugenot.
Aos 10 anos viajou para o Brasil juntando-se ao seu tio Manuel Francisco Portal radicado em Manaus (Brasil) iniciando-se, com este no mundo dos negócios. Justino Portal ganhou grande fortuna na cidade da borracha com o comércio por grosso de produtos alimentares, fundou a Padaria Universal e Américas (Rua Henrique Antony) que durante muitos anos foi líder naquela cidade.
Em 1876 participou no "Protesto da Colónia residente em Manaus contra o Sr. Monteiro Peixoto" (20 de Julho de 1876), movimento contra a decisão real de atribuir, por uma vida, o título de Barão de São Domingos, àquele político Brasileiro que, de forma polémica dirigiu a "Província do Amazonas".
Regressou a Portugal em 1890 com assinalável fortuna mantendo a gestão dos seus negócios à distância.
Durante a vida foi agraciado com um milagre. Em data incerta numa viagem na Europa, quando o navio em que seguia foi assolado por uma violenta tempestade e o comandante deu ordem para abandonar o navio Justino Portal invocou a intervenção da Nossa Senhora da Graça, prometendo que se conseguisse salvar os seus sobrinhos (que viajavam sob a sua protecção) construiria na sua terra natal uma grande capela em honra à mãe de Cristo.
Nos registos da época o relato das testemunhas refere que uma luz desceu sobre o barco e pouco tempo depois a tempestade serenou e a promessa cumpriu-se em 1908 com a construção de uma capela no monte da Senhora da Graça.
Justino Portal beneficiou ainda a sua aldeia natal com a oferta de um magnífico edifício destinado a escola primária (5 de Outubro) e que hoje é o Centro Cívico Justino Portal e também sede da Junta de Freguesia. Entre outros melhoramentos destaca-se o seu contributo financeiro e empenho pessoal no alargamento e pavimentação, em 1914, da estrada que liga o lugar da Portela e a Gândara (hoje EN327).
Justino Portal faleceu em 1927 no Hospital da Ordem do Carmo no Porto tendo deixado, entre outros, um vasto legado em Portugal e no Brasil à Misericórdia do Porto, ao Hospital de Oliveira de Azemeis e à Beneficente Portuguesa de Manaus.
Encontra-se, conforme sua vontade, sepultado em campa rasa em Cesar.
(fonte Wikipedia)

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Heráldica








Brasão: Armas – azul, torre quadrada de prata, lavrada de negro, iluminada e aberta de vermelho, com grade de negro na porta e acompanhada em chefe de uma coroa de Nossa Senhora, de ouro; à dextra, de duas chaves postas em aspas, com os patilhões apontados para o chefe, uma de ouro e outra de prata, à sinistra, uma espada cruzada em aspa e fendendo um sabre mourisco, uma e outra com punhos de ouro e lâminas de prata; em ponta, uma meia espiga de milho, folhada, unida a uma meia roda dentada, tudo em ouro. Coroa mural de quatro torres de prata. Listel branco com a palavra a negro: "Cesar"

Bandeira: Esquartelada de vermelho e branco. Cordões e borlas de prata e vermelho. Haste e lança de ouro.

Selo: Circular, com as peças do brasão, sem indicação das cores e metais, tudo envolvido por dois círculos concêntricos, entre os quais corre a legenda "Junta de Freguesia de Cesar"

JUSTIFICAÇÃO SIMBOLÓGICA

Chaves - lembram o padroeiro de Cesar, São Pedro;

Coroa da Virgem com Pomba - recorda-nos as Terras de Santa Maria e a paz;

Espadas Terçadas - significam a batalha que aqui houve em 1035;

Torre - símbolo de antiguidade e terra honrada;

Espiga e Roda Dentada - representam a actividade agrícola e industrial;

As cores Azul, Branca e Vermelha - são as tradicionais da heráldica das Terras de Santa Maria.

domingo, 14 de novembro de 2010

Fabrica dos Claudinos - Catálogo


Um documento intitulado "Anuário Comercial de 1927" onde refere a empresa de "Funileiros" de Claudino Tavares d'Azevedo - ano de 1927.

A fábrica de funilaria e artigos de chapa zincada e de flandres, de Claudino Tavares de Azevedo, em Cimo de Vila, já existia em 1898, e cessou a sua actividade na posse de familiares em 1981. Nessa época (meados século XX), esta empresa e a empresa dos Melos eram as principais e mais importantes de Cesar. Além do fabrico de gasómetros e candeeiros de acetileno, também fabricavam diversos artigos da gama de louça e utensílios domésticos, em folha de flandres, em zinco, em chapa zincada, em latão e cobre, desde bacias, alguidares, regadores, funis, medidas, braseiras, conjuntos de lavatórios, chuveiros etc...
Ainda no âmbito da sua actividade, esta empresa dedicava-se à iluminação de festas com os gasómetros a acetileno.


















(o original está comigo e tem grande valor estimativo)

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Igreja Matriz de Cesar - 200 anos



PROGRAMA COMPLETO

Dia 9 de Outubro (Sábado)
18h00 – Missa Vespertina presidida pelo Sr. Bispo Auxiliar do Porto, D. João Lavrador. (Nesta missa, dado o início do ano catequético, far-se-á a entrega dos compromissos e o envio do catequista. O Sr. Bispo fará também a entrega da Bênção do Catequista, para aqueles que façam neste ano pastoral 2010-2011 10, 15, 20, 25, 30, 40 ou 45 anos de serviço catequético.)
21h00 – Apresentação do livro “Igreja Matriz de Cesar: 200 anos de história – 1810 - 2010” pelo Sr. Bispo Auxiliar do Porto, D. João Lavrador, com momentos musicais. LOCAL: Igreja Matriz.

Dia 10 de Outubro (Domingo)
15h30 – Concerto:
Concerto de Órgão ( músicos da Universidade Católica Portuguesa do Porto e da Escola de Música Sacra de Fátima, também do Porto); Grupo Coral Litúrgico de Cesar; Grupo Juvenil Shalom de Cesar.

Dia 12 de Outubro (Terça-feira)
20h30 – Oração: Vigília Missionária (Equipa Paroquial de Vocações)

Dia 13 de Outubro (Quarta-feira)
21h00 - Terço com procissão de velas (200 velas) da Capela de Nossa Senhora da Graça para a Igreja Matriz. (A intenção será fazer a introdução e reza do 1º mistério na Capela, rezar os 3 mistérios seguintes durante a procissão, podendo obviamente este ponto ser alterado consoante o tempo que se demore, e fazer-se a conclusão do terço e oração final por parte do Sr. Padre Joaquim Cavadas, já na Igreja Matriz, iluminados pelas 200 velas que se disporão à volta da mesma e onde ficarão até que se acabem.)
Fazemos outra ressalva quanto a este momento de oração: obviamente que apesar de serem apenas 200 velas, o grupo de pessoas a participar na procissão poderá ultrapassar este número. Pedimos apenas a compreensão de todos caso nem todas as pessoas possam transportar uma vela. Sinceramente esperamos que tal aconteça, pois significará uma boa adesão da comunidade.

Dia 15 de Outubro (Sexta-feira)
21h00 – Oração: Vigília Jovem “Uma noitada com Deus” (200 anos, 200 minutos, 200 preces)
Apesar do nome – Vigília Jovem – toda a comunidade está convidada a comparecer neste momento de oração. Durante o mesmo, as pessoas presentes serão convidadas a preencher uma prece, até perfazermos duzentas. Estas serão posteriormente colocadas em 200 balões que irão ser libertados no Domingo, dia 17 de Outubro.

Dia 16 de Outubro (Sábado)
18h00 – Missa Vespertina, presidida pelo Reverendo Padre Joaquim Cavadas, Pároco de Cesar.
19h00 – Abertura da Exposição: “Linguagem e Simbólica da Liturgia”, onde estarão expostos artigos com história, como Alfaias, Paramentos e outros objectos com função de serviço à igreja. LOCAL: Salão Paroquial da Igreja Matriz.
21h00 – Concerto musical/espiritual de João Neves. LOCAL: Igreja Matriz.

Dia 17 de Outubro (Domingo)
10h00 – Recepção pelas entidades civis e religiosas ao Sr. Bispo titular do Porto, Dom Manuel Clemente.
10h05 – Centro Cívico Justino Portal - (Entidades Autárquicas Civis; Associações e Instituições, Entidades Privadas).
10h35 – Inauguração pelo Sr. Bispo do Porto, Dom Manuel Clemente, do monumento dedicado aos 200 Anos da Igreja Matriz de São Pedro de Cesar; visita à Igreja Matriz (oração); visita à exposição “Linguagem e Simbólica da Liturgia”.
11h00 – Celebração da Eucaristia de Acção de Graças presidida pelo Sr. Bispo do Porto, Dom Manuel Clemente.
12h15 – Visita ao Centro Paroquial de Cesar – Casa do Cruzeiro.
13h00 – Almoço aberto à comunidade com a presença do Sr. Bispo D. Manuel Clemente (Restaurante Julieta, 25€/pessoa; inscrições até dia 14 de Outubro presenciais na Igreja Matriz ou pelo número 917292654); encerramento da exposição.

Contamos com a participação, com alegria e fé, de toda a comunidade de Cesar!




















D. Manuel Clemente na Celebração dos 200 anos da Igreja Matriz de Cesar deixou um sorriso de Deus.

A Paróquia de Cesar celebrou e viveu com o entusiasmo da fé, as celebrações dos 200 anos da dedicação da Igreja Matriz de Cesar. Com eventos de índole religiosa e cultural, com especial relevo para a celebração da eucaristia de acção de graças com a presença do Sr. Bispo D. Manuel Clemente, a semana que antecedeu a visita do titular da cátedra diocesana, foi marcada pela forte participação dos cristãos em todas as iniciativas.

Mais do que lembrar um passado longínquo, as celebrações dos 200 anos da igreja matriz de Cesar, quiseram fazer memória e tornar presente no tempo, a igreja enquanto comunidade de pessoas vivas, que ao longo dos anos orientaram as suas vidas pela Palavra do Evangelho proclamada na casa que os cesarenses construíram.
A construção da actual igreja data de 1810, período marcado pela invasão francesa e, por isso, D. Manuel Clemente, afirmou que os cesarenses, que há 200 anos tiveram a ousadia de construírem a igreja de Cesar, demonstraram ser cristãos corajosos e determinados. Só uma comunidade cimentada pela fé e pela religiosidade “pôde realizar obra tão importante num tempo marcado pela devastação da guerra violenta como se caracterizou o período das invasões francesas”. Foi neste tempo tumultuoso entre o medo e a coragem, que o povo de Cesar continuou determinado na ímpar tarefa da construção da igreja matriz. A guerra instaurou o terror em toda região, mas convicção do povo cesarense não abalou a firmeza do seu templo interior na construção do seu templo exterior.

Com um vasto e valioso programa, a semana de 9 a 17 de Outubro, foi rica em iniciativas de carácter religioso e cultural. Os pontos altos aconteceram com a presença de e D. João Lavrador na eucaristia de abertura e D. Manuel Clemente, no encerramento das celebrações. Assim, no dia 9 de Outubro, D. João Lavrador presidiu a celebração da eucaristia que abriu as comemorações do bicentenário e apresentou a obra “Igreja Matriz de Cesar: 200 Anos de História”; dia 10, concerto de órgão na igreja matriz, protagonizado pelos organistas Marisa Taveira, Pedro Albuquerque, Liliana Carina (flauta); no dia 12, a equipa vocacional realizou uma vigília de oração; dia 13, a procissão de velas (200 velas) da capela da Senhora da Graça para a Igreja Matriz, encheu a Rua Central de Cesar; no dia 15, os jovens realizaram uma vigília de oração: “Uma noitada com Deus – 200 anos, 200 minutos e 200 preces; no sábado, dia 16, o Padre Joaquim Cavadas inaugurou a exposição dos objectos e alfaias que estiveram ao serviço da liturgia e um concerto musical/espiritual por João Neves e Padre Rui Tavares, preencheram o serão; finalmente, no domingo, dia 17, D. Manuel Clemente, encerrou as celebrações do 200 anos, com a inauguração de um monumento a marcar esta efeméride, seguida da celebração da eucaristia de acção de graças, na qual o Reverendo Padre Joaquim Cavadas agradeceu com elogiosas palavras e satisfação a presença do D. Manuel Clemente, tendo do mesmo presbítero oferecido ao prelado um livro sobre os 200 anos da história Igreja e a chave de ouro (chave de S. Pedro) símbolo maior da paróquia de Cesar.

A presença de D. Manuel Clemente em Cesar, ainda que marcada por uma agenda apertada, deixou um sorriso de Deus nos corações dos cesarenses. O pastor da diocese do Porto, na suavidade do seu sorriso e na afabilidade das suas afectuosas palavras; na comunicabilidade carinhosa e na sabedoria alicerçada na inspiração divina, cultivou uma proximidade de Deus, não um Deus que está a nossa espera, mas de um Deus que anda connosco ao colo. Foi deste modo que os cesarense sentiram as palavras de D. Manuel Clemente, na sessão pública onde marcaram presença o presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, Hermínio Loureiro, Rodrigo Silva, presidente da Junta de Freguesia de Cesar, Aníbal Campos, presidente da Assembleia de Freguesia de Cesar, Padre Joaquim Cavadas, pároco de Cesar e as instituições locais e entidades privadas, que quiseram agraciaram o Bispo do Porto com diversas lembranças.
Todos intervenientes que usaram da palavra destacaram o trabalho social, eclesial e intelectual do Bispo do Porto, bem como a satisfação e a alegria que sentiam por Cesar e o Concelho de Oliveira de Azeméis, ter o privilégio receber figura tão ilustre figura da Igreja de Portugal, mas também da sociedade portuguesa.

(Carlos Costa Gomes)